fbpx

Coach – Dialogos Internos

Coach – Dialogos Internos


Diálogos internos

Diálogos internos Negativos e Positivos
Pensamento negativo, gera diálogo interno destrutivo.
Imperador Romano Júlio César
Mas o que são “Diálogos Internos”?
Diálogos internos são as conversas que temos conosco, em pensamento, quando estamos próximos de executar uma ação especial. De acordo com as nossas características comportamentais, de acordo com as nossas personalidades, ou resumindo, de acordo com os nossos filtros internos, a nossa conversa interna vai determinar a maneira como executaremos ou não as ações futuras.
Veja a sequência do resultado de nossos diálogos internos:
Qual dos exemplos abaixo preferimos:
ou
Estudos científicos
Por volta do início do século passado, Albert Einstein, físico que desenvolveu a física moderna provou que o mundo é energia e as coisas materiais são compostas de energia condensada. Mas, somente nas últimas décadas, estamos conseguindo entender o poder do nosso pensamento, através das energias que o nosso pensamento emite.
O médico americano Patch Adams comprovou através de diversos tratamentos, que nosso corpo físico reage positivamente a tratamentos médicos quando o nosso emocional e os nossos pensamentos são positivos, são realizadores. Atualmente comprovando tal fato, em diversos hospitais pelo mundo, são permitidos a presença de pessoas que se portam como palhaços (Ex: Doutores da Alegria em São Paulo, SP e Hospitalhaços em Campinas, SP), animais domésticos (devidamente limpos e tratados), pessoas com roupas de super-heróis e outros procedimentos com o intuito de aumentar a autoestima das pessoas.
Quando as pessoas ao nosso redor reagem conosco de modo positivo, dizendo que somos o máximo, que realizamos o que queremos, normalmente, com o passar do tempo, acreditamos e nossos pensamentos reforçam estes sentimentos positivos, que geram ações, tornam-se um hábito, fortalecem o nosso caráter, criando o nosso destino.
Porém, conforme estudado até este ponto, com as diferentes personalidades e comportamentos existentes nas pessoas ao nosso redor, seja familiar, social, profissional, é mais comum as pessoas nos criticarem negativamente que positivamente. E, desse ponto em diante, passamos a trilhar a sequência de diálogos onde os nossos pensamentos reforçam estes sentimentos negativos, que não geram ações executivas, tornam-se um hábito negativo, depreciam o nosso caráter, destruindo o nosso destino. Infelizmente, por falta de autoestima, as pessoas dizem coisas ruins para si mesmas.
Nessa etapa de conhecimento, já entendemos os motivos que as pessoas agem desse modo conosco. Cada um tem suas personalidades, seus comportamentos, suas sombras, suas crenças limitantes e não possuem o conhecimento para filtrar esses seus comportamentos quando se conectam com o próximo.
Por mais difícil que possa parecer e agir, todas as vezes que os nossos diálogos internos foram negativos, necessitaremos corrigi-los do lado negativo para o lado positivo. Para isso, vamos estudá-los.
Podemos classificar o diálogo interno, de modo simples, como: Disfuncional (incoerente, negativo) ou Funcional (saudável, positivo).
Disfuncional: São diálogos desnecessários e desgastantes, que podem indicar um transtorno psicológico. Os principais tipos são:
  • Sabotador. Os diálogos que nos colocam contra nós mesmos.
  • Crítico. Por mais que façamos, os defeitos aparecem. Nunca estamos satisfeito com as nossas criações.
  • Inflamador. Os diálogos que nos colocam contra outra pessoa.
  • Potencializador. São os diálogos que aumentam tudo o que acontece de ruim. O fracasso será realidade e insuportável.
  • Adivinho. Nos seus diálogos tem certeza que sabe o que os outros pensam.
  • Ansioso. Os diálogos são em relação ao futuro, com o que pode ou não acontecer.
  • Egoísta. Os diálogos mostram que sabemos tudo, não conseguimos nos colocar na situação do outro.
  • Perseguido. Apresentam um diálogo interno derrotista, colocando-nos vítima dos outros e das situações.
  • Controlador. São os diálogos criados para manipular o próximo.
  • Mártir. Constroem diálogos sobre os outros, carregando os problemas dos outros e do mundo nas costas.
Funcional: São diálogos que nos promovem estabilidade emocional e autoestima elevada. Os principais tipos são:
  • Amoroso. São os diálogos de nossa evolução pessoal, aplicando a compaixão, colocando-nos no lugar do próximo. Assim como nós, os outros também estão em processo de evolução.
  • Aliado. Diálogos com a finalidade de nos restabelecer, para nos afastar do medo, da insegurança.
  • Humilde. Diálogos que entendem o próximo, e que é normal errar e se enganar com o próximo.
  • Realista. Diálogos para enxergar as situações e pessoas de uma forma clara e realista.
  • Apaziguador. São os diálogos destinados a nos acalmar, praticando a paciência e a tolerância com o próximo.
  • Confiante. Diálogos que representam o presente. Aproveitam cada dia.
  • Resgatador e Resiliente. São os diálogos que tem por objetivo transformar as pessoas, resgatando a autoestima e nos tornando blindado aos comportamentos críticos negativos do próximo. Entendem os motivos do próximo e se mantem firme na autoestima diante de uma situação de stress.
  • Otimista. Diálogos que tendem a enxergar o lado bom das situações e pessoas.
  • Respeitoso. São os diálogos que mostram que existem diversas maneiras das pessoas agirem e é sempre uma oportunidade de aprender.
  • Assertivo. São os diálogos que expressam afirmações próprias, de forma firme e direta, apropriada à situação, sem sentir ou causar constrangimentos ao próximo.
Conforme exposto acima, precisamos encontrar o modo predominante dos nossos pensamentos negativos para transformá-los em positivo se desejarmos emitir energias positivas para a realização do nosso sucesso, conforme os estudos apresentados pelo Físico Albert Einstein, 100 anos atrás.
Se não o fizermos, manteremos sempre a esperança que os nossos sonhos se realizem.
Caso necessite ler o arquivo na forma off-line ou imprimir,