fbpx

Empresas

Empresas


Empresas

“A História das Civilizações”
Por muitos séculos, as organizações sempre direcionaram seus esforços na modernização das máquinas e processos de seus parques industriais. Com a evolução das nossas sociedades, as nossas organizações, ou melhor dizendo, nós mesmos começamos entender que o capital humano era e continua sendo a parte mais importante da nossa organização. É através da criatividade e dos pensamentos dos seres humanos que existem as possibilidades da construção das máquinas destinadas a modernização dos parques industriais e dos produtos e serviços a serem entregues à sociedade.
Este fato nos leva a indagar:
Qual o seu processo de pensar?
E, consequentemente, de perceber o mundo?
E a partir desta percepção,
Como você se coloca no mundo?
Como adequar a forma de pensar dos séculos anteriores a nova realidade do conhecimento do século XXI? Novas percepções são interrompidas pelo conhecimento antigo presente em nossos paradigmas.
Uma civilização cresce quando o conceito inicial é a necessidade da mudança da desintegração anterior. O Crescimento continua a ocorrer até que a inflexibilidade ocorra para impedir mudanças fora da concepção original. Neste ponto inicia-se o colapso da sociedade e a ânsia por um novo conceito que satisfaça o ser humano.
Como a Semente Viva pode ajudar rapidamente a evolução de seus colaboradores?
Análise de Pessoas
Quando trabalhamos com pessoas, notamos claramente as diferentes personalidades existentes através dos comportamentos apresentados sob estímulos. Dependendo do cargo profissional em questão, encontramos estímulos para cumprirmos metas financeiras, de execução física, de gerenciamento de equipes, de criatividade, entre tantas outras possíveis.
É perfeitamente normal possuirmos mais atributos positivos ou mais atributos negativos dependendo do cargo a que se destina. Afinal, a nossa vivência familiar, escolar, social, entre outras nos direcionou a ser forte em algumas áreas em detrimentos de outras. Por causa destas vivências, construímos solidamente dentro de nós o que os especialistas chamam de “Certezas Absolutas” sobre as informações que lidamos diariamente.
Estas “Certezas Absolutas” influem diretamente em nossos comportamentos e diretamente em nossas ações requeridas pelos cargos empresarias.
Com a finalidade de diminuirmos as possibilidades de erros na contratação ou na promoção de funcionários, diversas ferramentas foram criadas para a análise dos candidatos tais como o Coaching tradicional, a “Teoria DISC”, o “Método STAR”, “Método da Dominância Cerebral” entre diversas outras.
O que temos notado ao longo da experiência de nossos colaboradores nos ambientes corporativos é que, além das ferramentas tradicionais aplicadas visando à classificação de candidatos para determinados cargos empresarias, influem diretamente: Saúde física, Saúde Espiritual, Saúde Intelectual, Saúde Familiar, Saúde Social, Saúde Econômico-Financeira, Saúde Profissional, Saúde Ecológica, A existência de um Projeto de Vida.
Muitos profissionais de RH ou Gerência de alto nível têm contratado candidatos com currículos espetaculares que, alguns meses a frente, verificam-se que os mesmos não se incorporaram à Cultura da Empresa requerida.
E o motivo não foi a falta de capacidade técnica ou gerencial avaliada pelas ferramentas acima, mas sim a estabilidade do funcionário com suas “Certezas Absolutas” frente as expectativas empresariais em questão, fortemente influenciadas pela Cultura Empresarial.
Fortalecimento de Equipes
​Nossas organizações atuais, enraizadas no mundo tecnológico existente, devem passar por diversas transformações em curtos períodos de tempo para poderem permanecer vivas. Como já sabemos, as transformações na parte física da empresa (máquinas e equipamentos) são algo relativamente fácil de fazer.
Os equipamentos novos não trazem as memórias dos equipamentos antigos e nem tampouco assimilam características dos outros equipamentos presentes na organização.
Eles iniciam os seus trabalhos desde o primeiro dia em sintonia com os outros equipamentos existentes.
Infelizmente quando falamos sobre o capital humano das organizações, a situação é bem mais difícil. Partes dos comportamentos dos novos colaboradores entrarão em choque com a Cultura Empresarial reinante da organização. Afinal, cada ser humano teve uma vivência diferente durante a sua trajetória de vida e terá que se adaptar com a Cultura Empresarial existente proporcionada pelos colegas que na organização se encontram.
​Também não é diferente quando precisamos modernizar a organização contando somente com os colaboradores existentes. Toda a mudança trás reações contrárias. Afinal estamos invadindo a “Zona de Conforto” dos colaboradores e isso não é nada agradável para os mesmos. Essas alterações trazem ameaças íntimas para cada colaborador. Seus conhecimentos e procedimentos entrarão em choque consigo mesmos.
​A necessidade do fortalecimento das equipes é a necessidade de removermos estas impressões internas quebrando as “Certezas Absolutas” individuais de cada colaborador e mostrando as suas competências e capacidades de adaptação. A melhor maneira de conseguir este objetivo são as vivências em grupo, mesclando atividades onde todos os objetivos são atingidos com a necessidade da participação de todos e, em seguida, as atividades feitas com todos no mesmo ambiente mas focam o desenvolvimento pessoal e interno de cada colaborador.
Com estas vivências, cada colaborador irá se conhecer internamente, encontrando as competências necessárias a participar da equipe de trabalho a que pertence.
Alguns recursos que poderão ser utilizados: Técnicas de Campeão – “Certezas Absolutas”, Respiração e Meditações, O poder pessoal através da Consciência; Vivendo com Alegria, Apometria e Vidas Passadas e Energia Quântica.
Para cada tipo de enfoque empresarial, serão desenvolvidas as vivências necessárias para atingir os resultados esperados. Não trabalhamos com regras fechadas mas sim com uma série de vivências específicas à necessidade de cada colaborador.
Terapias Anti-Stress
Em nossas organizações conquistamos diariamente novos objetivos, concluímos projetos, atingimos metas financeiras, ampliamos a lista de clientes, enfim atingimos as especificações materiais de nossos acionistas. Mas e a saúde nossa, a da equipe humana que faz tudo isso acontecer? Temos atingido as metas internas que nos permitem progredir indefinidamente? Ou temos que substituir colaboradores por outros (ou nós mesmos) que apresentem condições de saúde física e principalmente emocional para continuar nas rotinas estressantes diárias de nossas organizações?
Quanto custam estas substituições para as organizações? Todo o capital intelectual dos colaboradores que se perdem é infinitamente maior que qualquer custo que tenhamos com as substituições físicas dos mesmos.
Muitas organizações resolvem colocar os colaboradores de “férias”. Afinal, nada como um período de férias para descansar. Realmente este período de férias pode relaxar o corpo físico, mas o stress, o lado emocional não depende unicamente de férias, mas sim de permitir que os colaboradores pensem com clareza quais são os seus objetivos importantes e como atingi-los. Quando pensamos com clareza, podemos conciliar as nossas rotinas diárias sem nos deixar levar pelo lado emocional, ou seja, sem permitir que o stress entre em nossas vidas.
Pensando nisso, a Semente Viva preparou workshops e vivências que permitem a cada colaborador entender quais são as suas metas internas com clareza e retornar para as organizações emocionalmente preparados para as suas rotinas diárias, sem ressalvas.
Algumas de nossos workshops e vivências que poderão ser aplicados:
As ferramentas disponibilizadas acima tem um único e direto endereço: O Ser Humano.
Investimos no bem estar de nossos colaboradores. De nada adianta capacitarmos os nossos colaboradores com as melhores técnicas de produção e atuação na área de atuação de nossas organizações se estes mesmos colaboradores não tiverem as suas bases emocionais estáveis. Conseguiram os mesmos aplicarem as técnicas corretamente? E em equipe? Nossos clientes estarão felizes com o relacionamento entre as empresas quando os nossos representantes não são seres humanos equilibrados?